Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Dicas de segurança para ciclistas e pedestres durante a noite

De acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), outubro é o mês destinado aos perigos do período noturno no trânsito, onde há maior risco de acidentes envolvendo os usuários vulneráveis pela dificuldade de visibilidade. Pedestres e ciclistas, por serem mais vulneráveis, precisam redobrar a atenção quando estão exercendo suas atividades durante a noite. O Viver Seguro no Trânsito separou algumas dicas para evitar acidentes e contribuir com um trânsito mais seguro. Quer dar uma olhada? Veja abaixo!

De acordo com dados do Seguro DPVAT de janeiro a agosto de 2020, o anoitecer foi o período com maior indenização (22,9%), por isso, garantir mais segurança com para diminuir os riscos de acidente é muito importante para os mais vulneráveis no trânsito, como os ciclistas e pedestres. Nesse momento, além da atenção redobrada, todas as medidas são válidas, sinalização, direção defensiva e itens de segurança.

Para os ciclistas:

O Código de Trânsito Brasileiro determina que as bicicletas necessitam de sinalizações noturnas refletivas, campainhas e espelho retroviso. Porém, outros itens como luzes adicionais e refletivos, para-lama, capacete e colete refletivo são instrumentos que apesar de não serem obrigatórios, podem ajudar muito na redução de acidentes de trânsito e proteção da vida.

Esteja atento também ao caminho realizado,opte pelas rotas com estrutura cicloviária e evite grandes avenidas, preferindo os trajetos alternativos. Não se esqueça que a manutenção da bike também é super importante, e os freios e pneus precisam estar com regulados e bem calibrados para funcionamento adequado ;)

Para os pedestres:

A caminhada a noite pode ser um momento de relaxamento para muitas pessoas, mas precisa de atenção nas vias! Evite o volume alto de músicas em fones de ouvido, é necessário que vocÊ esteja atento aos barulhos emitidos pelo trânsito. Utilize roupa claras e reflexivas, para que o motorista, motociclistas e ciclistas consigam enxergar em um espaço maior. E seja previsível! Preste atenção nos seus movimentos e caminhe nos locais indicados para pedestres ;)

Atenção, pedestres e ciclistas: o Seguro DPVAT está aqui para você!

Sofreu um acidente no trânsito envolvendo um veículo automotor? Conte com a gente! O Seguro DPVAT protege os mais de 211 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito. Caso a vítima se encaixe em uma de nossas coberturas (morte, invalidez permanente ou reembolso de despesas médicas), não hesite em procurar auxílio!


Continuar lendo

Confira algumas mudanças do novo Código de Trânsito Brasileiro

Na última semana, o Governo Federal sancionou a lei que faz alterações no Código de Trânsito Brasileiro. Com as mudanças, todo o universo do trânsito passa por alterações como, por exemplo, os sistemas de fiscalização e algumas flexibilizações na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Confira no post abaixo.

Em junho, o Projeto de Lei 3.267/2019, com o objetivo de alterar ou flexibilizar algumas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), já tinha entrado na pauta de votação da Câmara dos Deputados, em caráter de urgência, conforme falamos em post no Viver Seguro no Trânsito. Agora, com a sanção presidencial que ocorreu no último dia 13, as seguintes mudanças foram aprovadas:

Aumento no prazo da CNH:

O aumento do prazo da validade da CNH foi a principal mudança. Ficou estabelecido pela lei que os condutores até 50 anos possuem dez anos para renovar a Carteira Nacional de Habilitação. Para motoristas entre 50 e 70 anos, o prazo se mantém de cinco anos, para os acima de 70 anos, a CNH possui duração de três anos. Para motoristas profissionais, o prazo permanece de cinco anos.

Além das mudanças no tempo de renovação, a nova lei também torna todas as multas leves e médias puníveis apenas com advertência, caso o condutor não seja reincidente na mesma infração nos últimos 12 meses. Há mudanças também no sistema de pontos que suspende a CNH: 40 pontos para quem não tiver infração gravíssima; 30 pontos para quem possuir uma gravíssima; e 20 pontos para quem tiver duas ou mais infrações do tipo.

Dados DPVAT

Em levantamento inédito realizado pela Seguradora Líder, o painel "Dados DPVAT" mostra que, para este ano, há uma previsão de queda de 19% no número de ocorrências em todo o país, considerando o período de isolamento social por conta da pandemia da Covid-19. A estimativa é que 229.646 vítimas sejam indenizadas pelo seguro por acidentes ocorridos este ano.

Apesar da redução, segundo dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), o Brasil permanece com uma média anual de 30 mil mortes causadas por acidentes.

E você? O que você acha dos números de acidentes projetados e quais medidas acredita que poderiam melhorar este cenário? Deixe aqui o seu comentário ;)





Continuar lendo

Retomada das aulas para CNH no Brasil

Neste mês, o Detran autorizou a retomada das aulas presenciais do curso de formação de condutores em todo o Brasil, seguindo os protocolos sanitários e de segurança. Além disso, as cidades precisam estar ao menos na fase laranja de reabertura. Quer saber mais? Então dá uma olhada no post abaixo!

Durante o período de isolamento social, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) havia autorizado a realização das aulas teóricas na modalidade de ensino remoto, conforme falamos aqui no Viver Seguro no Trânsito, no post dia 30 de abril.

No entanto, frente à reabertura gradual da economia e a flexibilização da quarentena, as aulas presenciais para tirar a Carteira Nacional de Habilitação, assim como as entidades que ministram os cursos de habilitação para formação de instrutores e examinadores de trânsito, além de diretores de Centro de Formação de Condutores (CFCs), foram autorizadas a serem retomadas, contanto que de forma consciente. Para isso, será necessária a utilização de máscara, bem como disponibilização de álcool gel, prática do distanciamento social, com espaço entre carteiras e cadeiras escolares, higienização de balcões, computadores, maçanetas, corrimões e rampas de acessibilidade, entre outros equipamentos.

Outra medida importante é referente à utilização de ar-condicionado. De acordo com a orientação, portas e janelas das salas de aula devem ser mantidas abertas e a higienização reforçada, mas, caso seja necessário o uso do ar-condicionado, este deve ser utilizado no modo ventilação aberta.

Para a permanência na sala, o número de alunos por sala e o horário também serão limitados por decretos municipais, além das determinações de segurança já publicadas por cada cidade.

Até então, os cursos de especialização liberados são: transporte escolar, transporte coletivo de passageiros, transporte de emergência, transporte de produtos perigosos, transporte de cargas indivisíveis, motofrete, mototáxi com carga-horária de 30 a 50 horas.

Já os cursos de capacitação são os de diretor-geral, diretor de ensino, instrutor de trânsito, Examinador de Trânsito, instrutor de trânsito especializado, com carga-horária de 180 a 220 horas.

Vale lembrar que a fiscalização dos locais credenciados será mantida constantemente pelos Detrans de cada município.

E aí, o que você acha da flexibilização das medidas de segurança? Conta pra gente nos comentários!


Continuar lendo

Evento discute Década da Segurança Viária

No dia 25 de setembro, profissionais do setor público e privado, especialistas em contextos globais da segurança viária, se reuniram para discutir o futuro do trânsito durante o webinar internacional “A Década da Segurança Viária: balanço e visão de futuro”,. Promovido pela Fundación MAPFRE no Brasil, o evento apresentou os avanços nos últimos dez anos e os desafios para o futuro, trazendo uma reflexão global sobre o tema.

Diretor do Departamento de Determinantes Sociais da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), Etienne Krug, relembrou que, na Terceira Conferência Ministerial Global sobre Segurança nas Estradas, mais de 1,7 mil participantes de cerca de 140 países adotaram a Declaração de Estocolmo sobre Segurança nas Estradas. Com isso, apelaram ao mundo para reduzir em 50% as mortes e os ferimentos no trânsito até 2030. No evento, Krug informou, ainda, que uma nova reunião com chefes de estado deve ser realizada até 2022, para discutir medidas de segurança viária no trânsito.

Já Vitor Pavarino, Oficial Nacional em Segurança Viária e Mobilidade Sustentável da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial De Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, avaliou que, na primeira década da segurança viária, as taxas de mortalidade no trânsito estabilizaram, apesar de ainda apresentarem dados preocupantes, principalmente, nas regiões Norte e Nordeste do país, com acidentes envolvendo motocicletas. Paravarino e destacou, também, que as mortes no trânsito são apenas a ponta do iceberg. Estima-se que a cada morte no trânsito, outras 70 lesões menores acontecem e outras 15 que necessitam de hospitalizações, sobrecarregando o sistema de saúde. "A área da saúde nunca esteve tão em evidência na segurança viária, como nos últimos 10 anos", concluiu.

Fechando o ciclo de palestrantes, Ernesto Mascellani Neto, Diretor-presidente do Detran-SP, avaliou a Década da Segurança Viária de acordo com dados do Governo de São Paulo, reforçando que o estado propôs iniciativas pioneiras e proativas, como o InfoSiga, que centralizou números e gerou grandes avanços no fornecimento de dados sobre acidentes de trânsito. Ernesto também falou sobre o lançamento do Programa Respeito à Vida, resultado da análise destes números.

Mediado pela Diretora de Sustentabilidade e da Fundación MAPFRE no Brasil, Fatima Lima, o evento pode ser conferido, clicando aqui.


Continuar lendo

Combate à violência no trânsito ganha reforço para as políticas públicas

A importância de dados confiáveis sobre acidentes, mortes e feridos é praticamente unanimidade entre os que estudam violência no trânsito. Atualmente, há uma infinidade de estatísticas com metodologias completamente distintas como, por exemplo, os dados de rodovias computados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) que usam uma metodologia diferente da utilizada nas estradas.

A falta de padrão de dados acaba por impedir análises corretas acerca da violência no trânsito. Em 2014, por exemplo, foram registrados 169 mil acidentes nas rodovias federais e, de repente, este número baixou para 122 mil em 2015. Esta queda é facilmente explicada pela criação da Declaração do Acidente de Trânsito (DAT), em que o envolvido no acidente faz o registro, via internet, narrando o que ocorreu. Desta forma, quando não havia vítimas, e a PRF não precisava ir ao local da ocorrência, e os dados, naturalmente, caíram.

Diversos fatores que interferem nestes dados estatísticos como o próprio não registro por parte da vítima. Basta imaginar um condutor, com habilitação vencida, saindo da pista com três passageiros. Todos saem feridos, mas conseguem seguir a viagem, sem pedir socorro, porque o motorista seria punido por dirigir em tais condições. É difícil acreditar que ele registraria o ato no site da PRF, tendo apenas vítimas com ferimentos leves, quanto mais sobre a condição de CNH vencida. Por isso, o acidente não aparece nas estatísticas e, desta forma, fica difícil, sabermos o tamanho do problema no trânsito em nível nacional.

Responsável pelo pagamento de indenizações por morte, invalidez permanente e reembolso por despesas médicas e suplementares, o Seguro DPVAT costuma ter atribuída a ele a credibilidade dos números, já que o beneficiário precisa apresentar as documentações que comprovem os fatos. A boa notícia é que, diante deste cenário, a Seguradora Líder, administradora do consórcio do Seguro DPVAT, está colocando para consulta pública os dados por Estado, abertos e detalhados, visando colaborar para que as autoridades possam estabelecer políticas públicas adequadas à realidade que está acontecendo a sua volta.

Para saber mais sobre os dados disponibilizados pela Seguradora Líder clique aqui.


Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: Mais de 209 mil indenizações concedidas pelo Seguro DPVAT em 2020

Educação e prevenção no trânsito são pautas constantes no Viver Seguro no Trânsito. Durante a Semana Nacional de Trânsito, o assunto se torna ainda mais pertinente devido aos altos números de acidentes no Brasil. De acordo com dados fornecidos pela OMS em 2019, o país está na quarta posição entre os países com mais mortes em acidentes de trânsito no mundo. Os dados do Seguro DPVAT confirmam os índices alarmantes. Se interessou pelo conteúdo? Então dá uma olhada no texto abaixo:

De acordo com o levantamento realizado pelo Seguro DPVAT, mais de 209 mil indenizações já foram concedidas para acidentados e parentes de vítimas até agosto deste ano. Mais da metade desses benefícios, cerca de 67% desse total, foram destinadas a pessoas que ficaram com alguma sequela permanente.

Assim como já foi mostrado em estudos anteriores, realizados pela Seguradora Líder, empresa que administra o Seguro DPVAT, os mais indenizados são os motoristas, totalizando 121.302 indenizações, seguido dos pedestres, com 61.244 benefícios concedidos. Os passageiros foram os menos atingidos e somaram 27.189 indenizações pagas pelo Seguro.

Durante o mês de setembro, ações de conscientização serão realizadas por inúmeras entidades e autoridades sobre o trânsito no país. O tema "Perceba o risco, proteja a vida" já foi apresentado por aqui e mostra que o assunto se faz cada vez mais necessário.

Como você contribui para um trânsito com menos violência e mais seguro? Conta para a gente! Seu comentário é muito importante :)


Continuar lendo

Semana Nacional do Trânsito - Conheça ações programadas do Denatran

O mês de setembro chegou e, junto dele, as programações para a Semana Nacional do Trânsito. Esse é mais um momento para todo país refletir sobre como ter um trânsito mais seguro. Essa iniciativa está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e será marcada por ações da sociedade, instituições públicas e privadas, associações e organizações não governamentais e por todos os órgãos de trânsito, federais, estaduais, distritais e municipais.

Dentro desse contexto, o Denatran começou a fazer a divulgação da série de ações sobre trânsito que serão realizadas online, entre webinares, campanhas educativas e o primeiro Hackatran, que contará com soluções tecnológicas inovadoras para desburocratizar os serviços de trânsito e facilitar a vida dos brasileiros.

Os eventos estão previstos para acontecer entre os dias 18 a 25 de setembro e as demais informações e novidades serão divulgadas através das redes sociais do Denatran.

O blog "Viver Seguro no Trânsito" também não vai ficar fora dessa! Se você quer ficar por dentro do que vai rolar na Semana Nacional do Trânsito, fique ligado nas próximas publicações!

Continuar lendo

Qual o futuro do carsharing depois da Covid-19?

A mobilidade urbana já era tema em muitas mesas de debate, antes mesmo do mundo enfrentar a pandemia do coronavírus. Serviços como compartilhamento de veículos, que antes eram incentivados para diminuição de veículos e aperfeiçoamento da mobilidade, agora passam a ser vistos com ressalvas no mundo pós-pandemia.

Faça uma reflexão: você dirigiria um carro utilizado por um desconhecido? De acordo com levantamento produzido pela empresa Deloitte, na Bélgica, a desinfecção dos carros será uma das maiores preocupações, tanto de usuários quanto das empresas que fornecem o serviço. Volantes, bancos, maçanetas, manopla de câmbio, tudo isso deverá ser desinfetado e descontaminado de vírus e microrganismos para que clientes sintam-se mais confiantes com esse tipo de serviço.

Aqui pelo Brasil, sabemos que esse tipo de atividade ainda não é muito utilizado, porém, com esse cenário, fica ainda mais difícil saber quando será popularizado. A beepbeep é uma das poucas empresas que ainda operam, mas apenas nas cidades de São Paulo e São José dos Campos.

Qual sua opinião sobre o tema? Teria coragem de utilizar esse tipo de serviço ou ainda não se sente pronto? Conta sua opinião pra gente nos comentários!


Continuar lendo

Equipamentos de segurança e sua importância para prevenção de acidentes

No último post do Blog Viver Seguro no Trânsito falamos um pouco sobre o calendário de temas sobre prevenção e educação liberado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Em agosto, um dos equipamentos mais eficazes para garantir a segurança de motoristas e passageiros em caso de acidentes de trânsito, é o destaque. Ponto para quem apostou no cinto de segurança! Acompanhe o nosso post e saiba mais sobre proteção dentro dos veículos.

A história do cinto de segurança

Esse equipamento tão conhecido foi patenteado em 1895, nos Estados Unidos. Apesar disso, seu uso foi implementado somente em 1958, em um modelo Corvette, fabricado pela Chevrolet. O tipo de cinto de segurança que conhecemos e utilizamos hoje, chamado de três pontos, era preso na estrutura do veículo e só chegou para o público em 1959, desenvolvido pelo engenheiro sueco Nils Bohlin. Legal né?

No Brasil

Aqui no Brasil, a obrigatoriedade do uso do equipamento completará 23 anos em setembro. Ela foi instituída pelo artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Andar sem o cinto de segurança, tanto o motorista quanto o passageiro, resulta em uma infração grave sujeita à multa de R$ 193,23; retenção do veículo até a colocação do cinto e 5 pontos na carteira do motorista, de acordo com o artigo 167 do CTB.

Proteção para crianças

Os cintos de segurança são os equipamentos utilizados para proteção em casos de acidentes para crianças maiores, jovens e adultos. Mas não podemos esquecer que a proteção dos pequenos também é muito importante dentro dos carros. Para isso, é preciso utilizar corretamente o equipamento de acordo com a idade.

Até 1 ano: Para essa idade, a regra é o uso do bebê conforto. E fique atento: a forma correta de instalação é virada para o banco de trás, protegendo ainda mais em caso de choque frontal entre veículos.

1 a 4 anos: Para essa idade, a cadeirinha é o dispositivo adequado. Virada para frente, no mesmo sentido dos passageiros, sempre no banco de trás!

A partir dos 4 anos: Para essa idade, é preciso usar o assento de elevação para a utilização do cinto de segurança do carro. É imprescindível que o dispositivo não fique no pescoço da criança, para que não machuque em caso de impacto.

Continuar lendo

Conheça o calendário de campanhas educativas de trânsito para 2020

Você sabia que, todos os anos, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) divulga um calendário de temas para que sejam desenvolvidas campanhas de educação no trânsito? Por conta da pandemia de COVID-19, as ações deste ano ficaram concentradas entre os meses de agosto e dezembro. Para saber um pouco mais sobre os assuntos de 2020, acompanhe o nosso post!

O cronograma tem como tema principal "Perceba o risco, proteja a vida" e deve ser divulgado pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito (SNT). As mensagens poderão ser adaptadas de acordo com as particularidades de cada região. Legal né?

E não para por aí. Até dezembro, cinco campanhas educativas estão previstas com temas super relevantes, como a importância do cinto de segurança e dispositivos de retenção infantil; o respeito no trânsito e os usuários mais vulneráveis; o perigo do período noturno no trânsito; os impactos sociais dos acidentes do trânsito; e os riscos de beber e conduzir. O principal momento do ano será durante a Semana Nacional de Trânsito, de 18 a 25 de setembro.

Quer conhecer os temas? Dá uma olhada:

AGOSTO - Uso de cinto de segurança e dispositivo de retenção infantil. O objetivo das campanhas educativas é ressaltar que o uso destes equipamentos salva vidas.

SETEMBRO - Serão duas abordagens: usuários vulneráveis e respeito no trânsito. A ideia é abordar a vulnerabilidade dos pedestres, ciclistas, motociclistas e pessoas com deficiência, que são os mais expostos ao risco, além de alertar que o uso do capacete pode salvar vidas. As campanhas também deverão abordar a relação de violência e conflitos entre os usuários do trânsito, reforçando seu caráter coletivo e reforçando a importância de cuidar de si e do outro.

OUTUBRO - Com o mote “Ver e ser visto”, a campanha terá como foco os perigos do período noturno no trânsito, onde há maior risco de acidentes envolvendo os usuários vulneráveis pela dificuldade de visibilidade.

NOVEMBRO - Impactos sociais dos acidentes, trazendo o tema do Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito (realizado no terceiro domingo de novembro). As campanhas devem levar a uma reflexão sobre como as lesões e sequelas psicológicas e sociais impactam a vida das vítimas e de seus familiares depois do acidente.

DEZEMBRO - Álcool e condução: riscos do uso de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas. Em decorrência das festas de fim de ano, as campanhas terão como foco alertar motociclistas e condutores sobre os perigos de pilotar ou dirigir após o consumo dessas substâncias, além da promoção de ações integradas com a fiscalização.

Se você quer ficar por dentro sobre educação e prevenção no trânsito, fique ligado nos próximos posts do blog Viver Seguro no Trânsito!


Continuar lendo

Página 1 de 16
12345678910...